A Saúde começa pela boca: Como o sorriso ajudam a melhorar a vida

saude dental

A odontologia atual segue dois caminhos bem distintos. Em um deles, temos grandes avanços científicos e tecnológicos que colocam a odontologia brasileira entre as melhores do mundo. Novas técnicas de implantes dentários, odontologia cosmética e utilização de aparelhos à laser, estão realizando o sonho de várias pessoas na recuperação de sorrisos comprometidos por grandes destruições dentárias.

Por outro lado, a prevenção odontológica evoluiu graças às pesquisas que proporcionaram um aumento no conhecimento da causa das doenças bucais, sua progressão e conseqüências para o restante do corpo. A prevenção deixou de ser exclusividade das crianças com o único objetivo de conter as cáries, passando à beneficiar inúmeros adultos de todas as idades no controle e prevenção de mau hálito, problemas gengivais, alterações de mordidas e outros.

A associação da odontologia curativa com a nova visão da odontologia preventiva preocupa-se atualmente com problemas mais amplos, recebendo a nova denominação de odontologia promotora de saúde.

Na promoção de saúde, os pacientes são analisados quanto á saúde física e seu perfil bio-emocional, pois problemas como estresse e o cigarro juntamente com a má escovação, podem interferir na instalação e severidade da doença periodontal (problemas gengivais com perdas ósseas). O estresse emocional associado a uma predisposição genética poderá acelerar muito as destruições ósseas periodontais levando rapidamente à perda dos dentes.

Além disso a doença periodontal poderá provocar problemas físicos como a endocardite bacteriana (bactérias em válvula cardíaca) ou febre reumática nas articulações corporais.

O estudo do perfil bio-emocional e da rotina de vida dos pacientes está auxiliando na determinação das pessoas mais predispostas às doenças bucais. Um exemplo é o crescente número de indivíduos que descarregam se nervosismo rangendo os dentes de maneira consciente ou dormindo, levando à desencadear dores de cabeça, problemas dentários, dores de ouvido ou estalos na mastigação. Essas pessoas podem ser auxiliadas com atitudes dentro da odontologia preventiva evitando-se complicações de seus quadros patológicos.

É contrastante e triste observar que temos tantas informações disponíveis e mesmo assim, a grande maioria da população prefere procurar os dentistas só em caso de dor ou problemas instalados como sangramento de gengivas e mau hálito.

O custo da odontologia preventiva é muito baixo. Para cada real investido em prevenção, economiza-se três reais em tratamento. Pesquisas recentes mostram que os orçamentos familiares estão comprometidos com somas mensais em convênios médicos e poucos ou nada se economiza para controles odontológicos. A grande maioria dos convênios odontológicos também não remuneram seus profissionais nas atitudes de promoção de saúde feitas nos adultos.

A saúde começa pela boca. A água e a comida que nutrem nosso corpo passam por ela. A falta de uma mastigação adequada ou focos de infecção bucal (como cárie e doenças gengivais) comprometem a saúde corporal e interferem nas relações sociais por causarem mau hálito, má dicção e rejeição estética afetando a auto estima. Mesmo as modernas técnicas odontológicas, não conseguem recuperar o que a natureza criou.

Acreditamos dessa forma, que a odontologia do novo milênio é aquela que através de seus estudos científicos auxilie o homem a manter seus dentes e sorrisos perfeitos no decorrer dos anos.

Essa já é a nossa realidade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *